Finanças

A Odisseia de Ficar Rico

A primeira pergunta que se segue é óbvia e direta:

Você quer ficar rico?

                Ela se apresenta óbvia porque a resposta que praticamente todas as pessoas diriam é quase a mesma: um sonoro SIM, tão automático quanto respirar. Todo mundo imagina uma vida com mais tranquilidade financeira, mais liberdade e mais chances de realizar seus sonhos. O dinheiro faz sim muita diferença. Claro que existem coisas que são especiais e o dinheiro não compra, com absoluta certeza. Não podemos viver bem sem elas. Mas não é isso que vamos discutir. A questão é o papel de como o dinheiro é importante na vida de cada um e o que se faria pra acumular uma soma considerável de dinheiro.

                A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera que uma pessoa saudável é uma pessoa com um estado de completo bem estar físico, mental e social e não somente ausência de afecções e enfermidades. Ou seja, um indivíduo saudável não é apenas um que tenha a mente e o corpo são, mas que tenha relações pessoais saudáveis e que tenham uma boa vida social. E tudo isso depende de dinheiro. É o dinheiro que compra a comida, compra o vestuário, financia o conhecimento direta ou indiretamente. Se alguém nesse momento está lendo esse texto, precisou de uma parcela razoável de dinheiro pra ter algum recurso eletrônico (PC, tablet, smartphone, notebook, etc.) e ainda pagou por algum plano (ainda que seja mínimo de internet). É ele que construiu escolas, pontes, viadutos, hospitais, templos religiosos e que também paga a sua energia elétrica, água e qualquer outro serviço residencial que você venha a adquirir. Em suma, dinheiro é o pagamento por recursos, das mais variadas espécies. Logo, quem tem mais dinheiro, tem mais recursos. Quem tem mais recursos vive melhor. Ou seja, é preciso fazer mais dinheiro. E aí a outra pergunta, nem tão óbvia quanto a anterior:

Você sabe fazer mais dinheiro do que o que você tem?

                Essa pergunta deve ter uma série de “respostas” na internet a fora, afinal tem-se respostas na internet para tudo. Como estamos falando de um mundo em que o dinheiro é um grande diferencial, é preciso adquiri-lo e vender é uma excelente maneira de conseguir mais dinheiro. E se alguém vai atrás de uma informação preciosa, ela também pode ser vendida. Não é à toa que há milhares de gurus na internet e em livrarias prometendo salvações para a sua vida financeira. Muitos desses casos são bem clássicos, como por exemplo: um indivíduo que era afogado em dívidas e frustrações financeiras encontrou alguém que o orientasse e mudasse a sua forma de agir e pensar e hoje esse mesmo indivíduo é um indivíduo rico que ganha dinheiro ensinando as pessoas a terem tanto ou mais dinheiro como ele. Ou então alguém que simplesmente compilou uma série de informações baseadas em situações de sucesso e pontuou coisas em comum entre elas. Milagrosos? Charlatões? Ou de fato eles sabem o elixir da vida próspera financeira? Como qualquer informação divulgada tudo é preciso averiguar, ainda mais quando as facilidades são muitas – do tipo tão óbvio que é um milagre você ainda não ter percebido. Mas há boas informações a serem avaliadas e principalmente qualquer coisa que exija de você um aspecto de disciplina, trabalho e te ensine a como você deve se relacionar com o dinheiro.

                A primeira coisa é que é preciso atentar é a forma de obter dinheiro e ela tem um paradoxo interessante: ninguém consegue dinheiro sem trabalhar. Seja qual forma de trabalho for, a principal maneira de ter uma receita inicial é trabalhando, salvo raríssimas exceções em que essa renda já estava pronta e foi repassada. Fora isso é preciso produzir, empregar a força de trabalho em algo que se reverta para essa sociedade, que é onde o dinheiro circula. Só que ao mesmo tempo, quem trabalha muito não tem tempo de ganhar dinheiro. É verdadeiro isso? Talvez seja um clichê sem muitas explicações. A verdade é quem NÃO SABE trabalhar não tem tempo para ganhar dinheiro. Se trabalho é a maneira de angariar recursos isso precisa ser feito com a maior precisão possível. E o trabalho diário tem sido algo mecânico e desprazeroso pra maior parte das pessoas. É lógico que não existe trabalho sem um tanto de sacrifício, principalmente no que tange à preparação para ele. Mas imagine passar uma vida em que parte das suas oito ou mais horas diárias são um sofrimento para o resto da vida. Se você não vê um modo de criar, projetar novas ideias e planejar uma vida nova para si mesmo o seu trabalho ficará preso tal qual o de um ratinho girando a roda. É preciso e possível se reiventar desde já dentro da própria função, ver naquilo uma oportunidade de almejar algo diferente. Desde já tente ser um profissional melhor, alguém mais inteirado e especialista do ofício. É o que mundo mais precisa hoje em dia.

                Então se fazer dinheiro exige é proporcional ao esforço, por que continuamos torcendo e acreditando na “sorte”? Só no ano passado, a Loteria Federal arrecadou cerca de 13 bilhões de reais. No Brasil, a Mega Sena é a maneira mais famosas de jogar, mas há várias espalhadas por aí, sendo famosas, populares em algumas regiões, de vizinhança e até mesmo algumas clandestinas. Mas vamos nos ater a mais famosa por enquanto. A chance de alguém ganhar na Mega Sena é menor do que um raio cair na sua cabeça e as pessoas não saem de casa desesperadas transportando para-raios. Porém, seguem confiantes de um dia acertar na loteria – já que alguém tem que ganhar – e passar o restante da vida em dias de conforto e despreocupação. Isso é o espírito de jogador presente nas pessoas na forma de lidar com dinheiro. O comportamento está errado? Depende de como se vê a prática. Se for um passatempo, um hobby e algo que não comprometa uma apertada renda é algo válido. Se for uma expectativa de mudar de vida… Bem, o caminho é totalmente reprovável. Tal qual o jogador do cassino. Se ele vai lá, gasta o que gastaria em outra diversão qualquer, sem comprometer sua renda, ciente de que a banca é mais forte e não perde, excelente. Se for um jogador contumaz e que tem a real expectativa de vencer e aposta, é grave e muito perigoso. Ou seja, salve pequenas exceções – o que na verdade só confirma uma regra – você só vai conseguir fazer muito dinheiro sendo especialista em alguma coisa, vendendo algo que ninguém mais tem pra vender ou que seja melhor do que todos os outros disponíveis no mercado, seja o que esse algo for.

                A segunda coisa é a manutenção disso. E aí é que entra a parcela de razão dos gurus dos livros, dos sites e das receitas de bolo. Eles vão te aconselhar a viver abaixo do padrão que você ganha, evitar dívidas, poupar para coisas maiores e investir o que sobra. Além disso, vão te aconselhar a se inspirar nos ricos, na maneira de como eles pensam e agem. Tudo isso é de fato louvável e importante. Alcançar o ápice de qualquer coisa faz com que você atinja uma posição mais instável do que a parte debaixo. Algo que está no alto pode cair de lá; o que já está embaixo, não tem mais pra onde descer (teoricamente). Ou seja, é preciso que você se modifique de fato. Vamos todos ficar ricos assim? Essa é a garantia que ninguém tem. Mas que uma mudança fatalmente gera alguma melhora é inegável. Não faz sentidos bons hábitos serem prejudiciais. É difícil, faz parte da saída da famosa zona de conforto, da qual somos tão apegados. É como acordar naquela manhã gelada de inverno: está muito bom debaixo das cobertas, mas é preciso agir. E o que você está fazendo essencialmente pra isso hoje? O que te impede de agir em função desse objetivo desde já?

                Uma coisa eu não mencionei a título de definição: como saber quando chegamos lá? O que é ser rico de verdade? Quando o objetivo é atingido? Quando simplesmente temos uma vida mais tranquila, planejada e equilibrada. Sim, equilíbrio é a chave de todas as coisas. Até porque na verdade não queremos o dinheiro exatamente e sim o que ele pode proporcionar. E isso varia em escalas totalmente diferentes pra cada indivíduo. Se a sua vida já é livre, flexível, segura, repleta de experiências interessantes, com suas metas atingidas e tudo isso com as suas cifras atuais, é muito provável que você já seja rico. Sendo assim, trabalhe pra seguir a sua riqueza. Trace metas concretas pra isso, tal qual um plano de voo. Escreva em algum lugar, se puder, o início (onde você está agora e qual é a sua situação), o fim (onde e como deseja estar) e o que é preciso fazer pra chegar lá passo a passo. Não se assuste com o tamanho se ele for muito longo e não relaxe se ele parecer menor do que se pensava. Siga os passos a risca, com disciplina e firmeza, até que todos eles estejam bem concretos, como se fosse montando as peças de um Lego. Assim que sua obra ficar pronta, sua riqueza estará atingida.

Tags
Mostrar mais

Luís Pimenta

Carioca, Engenheiro, torcedor e ritmista da Estação Primeira de Mangueira. Além de acordar cedo por necessidade e comer churrasco por amor, consegue ser fã de séries e de samba. Muitas vezes ao mesmo tempo.

Close